Comprovar ext4 ou desfragmentar ext4 ?

O pacote e2fsprogs contem um conjunto de programas para criar, escanear, comprovar, consertar e manter sistemas de ficheiros ext2/3/4. Se encontra advertências durante o arranque ou problemas sérios no seu GNU/Linux com este tipo de sistema de ficheiros, provavelmente o primeiro a ser feito debería ser comprovar ext4 e, se non fosse o bastante, enxergar os demais programas que inclui e2fsprogs (instalado ou disponível normalmente en qualquer distro).

Duas das tarefas mais comuns utilizadas são as focadas a desfragmentar e a comprovar (e consertar) diretórios ou partições completas. Em qualquera destes casos, sempre é aconselhável, ou mesmo é mandato, faze-lo com os sistemas não montados. Portanto, o ideal é usar uma imagem “viva” (live), por exemplo um usb com uma distribuição GNU/Linux que permita seu uso sem ser instalada.

Desde a perspectiva do consumo de tempo, com certeza, o primeiro passo é comprovar e consertar porque a desfragmentação demora demais, até días se os discos são grandes em equipamentos antigos.

Comprovar ext4

Comprovar ou verificar uma partição responde a procurar e arranjar problemas no sistema de arquivos. Ao comprovar uma partição também se pretende acrescenatr o sistema de arquivos até encher a partição. Usa-se quando um sistema de ficheiros journal (ext3 o ext4) é apagado incorretamente.

Exemplo:comprovar ext4

e2fsck -f -y -v -C 0 /dev/sda1

-f Força a verificação mesmo se o sistema parece limpo
-y Asume a resposta afirmativa a todas as questões e desta maneira, obvia a interação com e2fsck
-v Modo verboso, oferece abuntante informação
-C 0 Para que e2fsck mostre a evolução da sua evolução (num console)

Também podemos optar pelo uso do aplicativo gráfico GParted. Neste caso o processo é como segue:

GParted > selecionar partição a verificar > menú Partição > Verificar > Aplicar

Desfragmentar ext4

Esta opção, insisto, consume muito tempo, às vezes até días se selecionamares um disco duro completo e bem grande. O programa e4defrag procura a maior continuidade possível dos bloques no sistema de ficheiros, melhorando, deste jeito, sua velocidade de acesso. É possível desfragmentar uma partição ou simplesmente um diretório o arquivo.

Exemplo:

$ sudo e4defrag -c -v diretorio/

-c Analiza a fragmentação atual, a ideal a ser atingida e calcula seu trabalho a partir disso.
-v Imprime a fragmentação ideal para cada arquivo.

Em askubuntu tratan este assunto: “How to defrag an ext4 filesystem“.

Share

Capacita para garantir a migração a SwL

É contrastado a cada vez maior presença das tecnologias livres e abertas nos servidores empresariais. Mas, por que não é paralelo este sucesso na migração de postos no escritório?migrando_a_SwL

Enquanto a serviços, o Software Livre (SwL) dispõe de um sólido status em múltiples campos, oferecendo soluções seguras, estáveis e independentes de fornecedores. Migrar serviços adiciona a estos óbvios benefícios, um ventajoso saldo econômico e, não menos importante, um enorme grao de transparência do processo. Com certeza, migrar serviços apenas é perceptível pelo pessoal da empresa. Seguirá desfrutando do seu email ou de uma rede otimizada sem aperceber que seus servidores passaram a se sustentar em SwL, ou muito pelo contrário, se advirtiram algo seria uma melhoria em geral.

Porém, nos postos de escritório a migração não é transparente, o pessoal vai ter que se enfrentar a um novo ambiente. Poderá ser máis fácil, direto e evidente que o anterior, mas vai ter que se enfrentar a um câmbio. E qualquer câmbio, pela sua própria natureza, gera um rejeite inicial. É, portanto, essencial incidir neste obstáculo para minimizar os efeitos em todo o processo e, deste jeito, garantir o sucesso da migração de contornos de trabalho onde seja possível se fazer.

Eis aqui onde entra no jogo a capacitação. É precisso concientizar ao pessoal das bondades do cambio e capacita-lo para exprimir as qualidades do novo ambiente. Não é certo que assistimos casos de migração entre distintas versões de software privativo (fechado) nos que nem sequer contaram com a opinião do pessoal afetado e aínda menos oferecendo uma mínima capacitação? Parece lógico, portanto, que parte da poupança que produz o processo migratório, no mínimo a meio prazo, seja destinado a diminuir os efeitos da migração do contorno de trabalho.

Além disso, servirá para capacitar solidamente ao pessoal nas rotinas diárias quase que nunca cobertas com uma suficiente destreza técnica. Resulta muito simples acharmos pessoas trabalhando todo o dia na frente de um computador sendo ineficaces na busca de informações, lentas na navegação, desconhecendo as mínimas regras de netiqueta, gerando contrasinais inseguras e, também, sendo incapaces de assinar digitalmente um documento.

Portanto, salvando os lógicos engarrafamentos que provoca o software privativo enquanto à dependência aos seus formatos fechados e aplicativos cativos que se consideran terminantes para o correto funcionamento da empresa, a formação capacitará ao pessoal da empresa que decida migrar a SwL incrementando ademais notavelmente sua produtividade.

“O home está condenado a ser livre” Jean Paul Sartre

Nos siguintes artigos…

Abordarei os passos que estamos dando em tegnix.eu no projeto de migração de uma empresa industrial pragada de equipos Apple e aplicativos privativos.

Créditos da imagem: As Salgueiras.

Artigo publicado originalmente para o blog de OpenExpo (em espanhol).

Share

Como vender Software Livre?

Como vender Software Livre? Por que `hai que´ compra-lo?” foi o título oficial da minha apresentação na OpenExpo o passado 2 de junho na sala FINODEX.Vender SwL

O meu alvo foi aportar uma nova perspectiva à cansativa, recorrida e fundamentada coleção de qualidades que oferece o Software Livre (SwL). E, pelo visto na platéia, acho que acertei e até sorprendi.

Comecei presentando a minha experiência comercial fora do âmbito tecnológico, meu perfil profissional e como descubri o SwL. Foi tal o meu entusiasmo que ao pouco tempo bati portas para divulga-lo: prefeituras, partidos políticos no próprio Parlamento de Galiza e institutos foram as primeiras.

Ler maisComo vender Software Livre?

Share

Uso de cookies y aviso legal

Este sitio web utiliza cookies para que usted tenga la mejor experiencia de usuario. Si continúa navegando está dando su consentimiento para la aceptación de las mencionadas cookies y la aceptación de nuestra política de cookies, pinche el enlace para mayor información.plugin cookies

ACEPTAR
Aviso de cookies